Bíblia do Caminho Testamento Redentor

Atos dos Apóstolos  † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 21  † 

(Versículos e sumário)

21 Tendo-nos feito à vela depois que nos separamos deles, fomos em direção a Cóos, e no dia seguinte a Rodes e dali a Pátara.

2 E como tivéssemos achado um navio que passava à Fenícia, entrando nele, nos fizemos à vela.

3 Quando avistamos Chipre, deixando-a à esquerda, navegamos para a Síria e chegamos a Tiro; porque aí se havia de descarregar o navio.

4 E como encontramos discípulos, nos detivemos ali sete dias; os quais espiritualmente inspirados diziam a Paulo que não subisse a Jerusalém.

5 E passados poucos dias tendo partido dali íamos nosso caminho, acompanhando-nos todos com suas mulheres e com seus filhos até fora da cidade; e postos de joelhos na praia fizemos nossa oração.

6 E tendo-nos despedido uns dos outros nos embarcamos, e eles voltaram para suas casas.

7 Nós, porém, finda essa navegação, de Tiro passamos a Ptolemaida; e havendo saudado aos irmãos, nos detivemos um dia com eles.

8 E no dia seguinte, havendo partido dali, chegamos a Cesareia. E entrando em casa de Filipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele.

9 O qual tinha quatro filhas virgens que profetizavam.

10 E como nos detivéssemos ali por alguns dias, chegou da Judeia um profeta, por nome Ágabo.

11 Este tendo vindo a nós pegou a cinta de Paulo, e atando os próprios pés e mãos, disse: Isto diz o Espírito Santo: Assim atarão os judeus em Jerusalém ao varão de quem é esta cinta, e o entregarão nas mãos dos gentios.

12 Quando ouvimos isto, nós e os que eram daquele lugar, lhe rogamos que não fosse a Jerusalém.

13 Então Paulo respondeu e disse: Que fazeis chorando e afligindo-me o coração? Porque eu estou pronto não só para ser atado, mas também para morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus.

14 E vendo que o não podíamos persuadir, não o importunamos mais, dizendo: Faça-se a vontade do Senhor.

15 Depois destes dias, tendo-nos preparado, subimos para Jerusalém.

16 E alguns discípulos vieram também conosco desde Cesareia, os quais trouxeram consigo um certo Mnason, natural de Chipre, discípulo antigo, para nos hospedarmos em sua casa.

17 Chegados que fomos a Jerusalém, os irmãos nos receberam de boa vontade.

18 E no dia seguinte Paulo foi em nossa companhia à casa de Tiago, onde se tinham congregado todos os anciãos.

19 Havendo-os saudado, lhes contou, uma por uma, todas as coisas que Deus tinha feito entre os gentios por seu ministério.

20 E quando o ouviram, engrandeceram a Deus e lhe disseram: Bem vês, irmão, quantos milhares de judeus são os que têm crido, e todos são zeladores da lei.

21 E têm ouvido dizer de ti, que ensinas aos judeus dispersos entre os gentios que deixem a Moisés, dizendo que eles não devem circuncidar seus filhos, nem andar segundo os costumes.

22 Que se há de fazer? Certamente que a multidão irá se reunir, ao ouvir que és chegado.

23 Faze pois o que te vamos dizer. Temos aqui quatro varões, que têm voto sobre si.

24 Leva-os contigo, santifica-te com eles, e faze-lhes os gastos da cerimônia, para que raspem suas cabeças; e todos saberão que é falso quanto ouviram de ti, e que, ao contrário, segues o teu caminho guardando a lei.

25 Acerca daqueles que creram dentre os gentios, nós temos escrito, ordenando que se abstenham do que for sacrificado aos ídolos, de sangue, de animais sufocados e da fornicação.

26 Então Paulo, levando consigo aqueles varões, purificou-se com eles; e no seguinte dia entrou no templo, fazendo saber o cumprimento dos dias da purificação até que se fizesse a oferenda por cada um deles.

27 Mas quando estavam a findar os sete dias, aqueles judeus que se achavam ali da Ásia, tendo-o visto no templo, amotinaram todo o povo e lhe lançaram as mãos, gritando:

28 Varões de Israel, socorro! Este é o homem que por toda parte ensina a todos contra o povo, contra a lei e contra este lugar, e ainda trouxe gentios ao templo, profanando este lugar santo.

29 Pois tinham visto andar com ele pela cidade a Trófimo, de Éfeso, creram que Paulo o havia introduzido no templo.

30 Agitou-se toda a cidade; muita gente afluiu, e lançando mão de Paulo o arrastaram para fora do templo e logo foram fechadas as portas.

31 E procurando eles matá-lo, chegou aos ouvidos do tribuno da coorte que toda Jerusalém estava amotinada.

32 Levando consigo soldados e centuriões correu logo até eles. Os quais, tendo visto ao tribuno e aos soldados, cessaram de ferir a Paulo.

33 Então chegando o tribuno apreendeu-o, ordenando que fosse acorrentado com duas cadeias, e lhe perguntou quem era e o que havia feito.

34 Na multidão uns gritavam uma coisa, outros outra; e como por causa do tumulto não podia saber nada ao certo, mandou que o levassem à cidadela.

35 E quando Paulo chegou às escadas foi necessário que os soldados o levassem, por causa da violência do povo.

36 Pois a multidão seguia-os gritando: Mata-o.

37 E quando Paulo já ia entrar na cidadela, disse ao tribuno: Desejara saber se me é permitido dizer-te duas palavras? O qual lhe respondeu: Sabes o grego?

38 Não és aquele egípcio que há alguns dias levantaste um tumulto e conduziste ao deserto quatro mil homens assassinos?

39 E Paulo lhe disse: Eu na verdade sou homem judeu, natural de Tarso na Cilícia, cidadão desta não ignota cidade. Mas rogo-te que me permitas falar ao povo.

40 E quando lho permitiu o tribuno, pondo-se Paulo em pé sobre os degraus, fez sinal ao povo com a mão, e tendo ficado todos num grande silêncio, falou então em língua hebraica, dizendo:



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: A versão Corrigida e revisada, fiel de Almeida; Novum Testamentum Graece 28th revised edition, edited by Barbara Aland and others; Parallel Greek New Testament by John Hurt


.

Abrir