Bíblia do CaminhoTestamento Redentor

Índice Página inicial Próximo Capítulo

O Evangelho segundo S. João  Ee

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 6

(Versículos e sumário)

A primeira multiplicação dos pães  Ee

Mt = Mc = Lc

6 Depois disto passou Jesus à outra margem do mar da Galileia, que é o de Tiberíades.

2 E seguia-o uma grande multidão de gente, porque viam as curas maravilhosas que fazia aos que se achavam enfermos.

3 Encaminhando-se então para um monte, ali se assentou Jesus com seus discípulos.

4 Já estava perto a Páscoa, dia da festa dos judeus.

5 Pelo que vendo Jesus aquela enorme multidão de povo que vinha ter com ele, disse para Filipe: Onde compraremos pães para que todos eles comam?

6 Mas Jesus falava assim para o experimentar; porque ele bem sabia o que havia de fazer.

7 Respondeu-lhe Filipe: Duzentos denários de pães não seria suficiente, para cada um receber um pedaço.

8 Um de seus discípulos, chamado André, irmão de Simão Pedro, disse-lhe:

9 Aqui tem um jovem que trouxe consigo cinco pães de cevada e dois peixes; mas que é isto para se repartir entre tantas pessoas?

10 Então disse Jesus: Fazei sentar essa gente. Naquele lugar havia muito feno; e acomodaram-se para comer perto de cinco mil pessoas.

11 Pegou Jesus os pães e tendo dado graças, deu-lhos para que fossem distribuídos com os que ali estavam; e fez o mesmo com os peixes; e comeram quanto queriam.

12 Como já estavam fartos, disse a seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobejaram, para que não se percam.

13 Eles assim o fizeram e encheram doze cestos de pedaços dos cinco pães de cevada, que haviam sobrado àqueles que tinham comido.

14 Vendo então aqueles homens o feito extraordinário que Jesus obrara, diziam: Este é verdadeiramente o Profeta que devia vir ao mundo.

15 Percebendo Jesus que o viriam arrebatar para o fazerem rei, tornou a retirar-se para o monte, ele só.


Jesus caminha sobre o mar Ee

Mt = Mc

16 Quando veio a tarde, desceram seus discípulos ao mar,

17 Entrando numa barca, rumaram para Cafarnaum na outra margem; já havia escurecido e Jesus não tinha ido com eles.

18 O mar estava agitado por causa do vento rijo que assoprava.

19 Tendo navegado quase vinte e cinco ou trinta estádios, viram Jesus que vinha andando sobre o mar aproximando-se da barca, isto deixou-os atemorizados.

20 Mas Jesus lhes disse: Sou eu, não temais.

21 Acolheram-no então na barca e logo chegaram onde queriam abordar.


Jesus, o pão da vida Ee


22 No dia seguinte o povo que havia ficado na margem oposta, constatou que ali não estivera outra barca, senão aquela em que os discípulos tinham ido sós, e que Jesus não havia entrado na barca com eles.

23 Mas depois subiram de Tiberíades outras barcas, perto do lugar onde tinham comido o pão abençoado pelo Senhor.

24 Quando enfim viu a gente que nem Jesus lá estava, nem seus discípulos, entraram naquelas barcas e vieram até Cafarnaum em busca de Jesus.

25 E depois que o acharam na outra margem, disseram-lhe: Mestre, quando chegaste aqui?

26 Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo; que vós me buscais, não porque vistes fenômenos, mas porque comestes dos pães e ficastes fartos.

27 Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do Homem vos dará. Porque ele é o em que Deus Pai imprimiu o seu selo.

28 Disseram-lhe pois: Que faremos para realizarmos as obras de Deus?

29 Respondeu-lhes Jesus: A obra de Deus é esta, que creiais naquele que ele enviou.

30 Disseram-lhe então: Que sinal fazes, portanto, para que o vejamos e creiamos em ti? Quais são tuas obras?

31 Nossos pais comeram o maná no deserto, segundo o que está escrito: Ele lhes deu a comer o pão do Céu(Sl)

32 E Jesus lhes respondeu: Em verdade, em verdade vos digo; que Moisés não vos deu o pão do céu, mas meu Pai é o que vos dá o verdadeiro pão do Céu.

33 Porque o pão de Deus é o que desceu do Céu, e que dá vida ao mundo.

34 Eles então lhe disseram: Senhor, dá-nos sempre deste pão.

35 Jesus lhes respondeu: Eu sou o pão da vida: o que vem a mim, não terá jamais fome, e o que crê em mim, não terá jamais sede.

36 Porém eu já vos disse, que vós me vistes e não acreditais.

37 Todo o que meu Pai me dá, virá a mim; e o que vem a mim, não o lançarei fora;

38 Porque eu desci do Céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

39 E essa é a vontade daquele Pai que me enviou: Que nenhum daqueles que ele me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia.

40 E a vontade de meu Pai que me enviou é esta: Que todo o que vê o Filho, e nele crê, tenha a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.

41 Murmuravam dele então os judeus, porque dissera: Eu sou o pão vivo, que desci do Céu.

42 E diziam: Porventura não é este Jesus o filho de José, cujo pai e mãe nós conhecemos? Como diz então: Desci do Céu?

43 Respondeu-lhes Jesus: Não murmureis entre vós outros.

44 Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer, e eu o ressuscitarei no último dia.

45 Está escrito nos profetas: E todos serão ensinados por Deus. (Is) Assim que todo aquele que ouviu o Pai e aprendeu, vem a mim.

46 Não que alguém tenha visto ao Pai, senão só aquele que é de Deus, esse é o que tem visto ao Pai.

47 Em verdade, em verdade vos digo: O que crê em mim, tem a vida eterna.

48 Eu sou o pão da vida.

49 Vossos pais comeram o maná no deserto e morreram.

50 Aqui está o pão que desceu do Céu; para que todo o que dele comer, não morra.

51 Eu sou o pão vivo, que desci do Céu. n Se qualquer comer deste pão, viverá eternamente; e o pão, que eu darei, é a minha carne, para ser a vida do mundo.

52 Disputavam pois entre si os judeus, dizendo: Como pode este dar-nos a comer a sua carne?

53 E Jesus lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do Homem, e beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós.

54 O que come a minha carne, e bebe o meu sangue, tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.

55 Porque a minha carne verdadeiramente é comida; e o meu sangue verdadeiramente é bebida.

56 O que come a minha carne e bebe o meu sangue, esse fica em mim, e eu nele.

57 Assim como o Pai, que é vivo, me enviou, e eu vivo pelo Pai; assim o que se alimenta com a minha carne, esse mesmo também viverá por mim.

58 Aqui está o pão que desceu do Céu. Não o de vossos pais, que comeram o maná e morreram. O que come deste pão, viverá eternamente.

59 Estas coisas disse Jesus quando em Cafarnaum ensinava na sinagoga.


Alguns discípulos se escandalizam. Muitos se retiram Ee


60 Então, muitos dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso, e quem o pode ouvir?

61 Jesus porém, conhecendo o que seus discípulos murmuravam, disse-lhes: Isto escandaliza-vos?

62 Pois que será, se vós virdes subir o Filho do Homem, onde ele primeiro estava?

63 O Espírito é o que vivifica: a carne para nada aproveita. As palavras que eu vos disse são espírito e vida.

64 Mas há alguns de vós outros que não creem. Porque bem sabia Jesus desde o princípio quem eram os que não criam, e quem o havia de entregar.

65 E dizia: Por isso eu vos tenho dito, que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai isso não lhe for concedido.

66 Desde então muitos de seus discípulos voltaram atrás; e já não andavam com ele.

67 Por isso disse Jesus aos doze: Quereis vós outros também retirar-vos?

68 Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem havemos nós de ir? Tu tens palavras da vida eterna.

69 E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo Filho de Deus.

70 Disse-lhes Jesus: Não é assim que eu vos escolhi em número de doze; e contudo, um de vós é o diabo?

71 O que ele dizia por Judas Iscariotes, filho de Simão, porque ele era o que o havia de entregar, sendo que era um dos doze.



[1] Nos originais do Padre Figueiredo, tanto em latim como em português, o versículo 51 contém o seguinte trecho: “Eu sou o pão vivo, que desci do Céu.”; todavia, para conformar-se com as outras versões da Bíblia este versículo foi complementado pelo seguinte, ficando assim a numeração do capítulo alterada, de 72 versículos passou a ter 71.


Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação.

Veja também as seguintes versões: Corrigida e revisada, fiel de Almeida; Novum Testamentum Graece 28th revised edition. Edited by Barbara Aland and others; Parallel Greek New Testament by John Hurt


.

Abrir