Bíblia do CaminhoTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Cartas do Evangelho e outros poemas — Casimiro Cunha — 1ª Parte


11


Carta aos cientistas

  1 Atualmente, no mundo,

  No estudo das forças vivas,

  Toda a ciência está cheia

  De fórmulas negativas.


  2 É tamanha a extravagância

  E tão grande a confusão,

  Que os sábios já se esqueceram

  Do esforço do coração.


  3 E enquanto as teses retumbam

  Na luz das academias,

  Os corações se enregelam

  Sentindo as noites sombrias.


  4 A força pretensiosa

  Dos falsos sábios da Terra

  Colabora, hoje no mundo,

  Em toda a indústria da guerra.


  5 Ai, porém, de todo aquele

  Que no correr da existência

  Abusa de dons sagrados

  Nas lutas da inteligência.


  6 Meu irmão, toma cuidado,

  Busca novas claridades,

  O Cristo vê teus caminhos

  E as tuas atividades.


  7 Por muito que realizes

  Junto ao teu laboratório,

  Se te voltas contra Deus

  Teu trabalho é sempre inglório.


  8 Procura ver na oficina

  Que chamas de “natureza”

  A Providência Divina

  Irradiando a beleza.


  9 Reparaste? Tudo é luz

  Ao sol desse eterno dia…

  Tens a ciência do mundo

  Mas não tens sabedoria.


  10 Cada escola, em cada ano

  Modifica os teus conceitos.

  Só Deus é o Sábio dos Sábios

  Em Seus caminhos perfeitos.


  11 Jamais te rias da fé.

  No rigorismo da sorte

  Ela há de ser teu socorro

  No instante amargo da morte.


  12 Que em tudo vejas o campo

  De estudos e de esperanças;

  Há uma verdade divina

  Que o Pai revela às crianças.


  13 Essa verdade dos simples

  Pode aclarar-te também

  Se, longe da vaidade,

  Viveres na luz do Bem.


  14 Amigo, examina sempre

  O esforço que te conduz.

  Por tudo quanto fizeres

  Responderás a Jesus.


.Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir