Bíblia do CaminhoTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Cura — Autores diversos


17


Oração de enfermeira

  1 Tempestade, tempestade,

  Por que tanto escarcéu?

  Quando o teu brado estremece

  A imagem do próprio Céu?


  2 Conduzidas por teu braço,

  Há nuvens tremeluzindo,

  Lançando granizo aos montes,

  Lembrando feras rugindo…


  3 Quando expeles ameaças,

  Sem limpa e justa razão,

  Quem serás?… De onde procedes?…

  Da ira de algum dragão?


  4 Trazes à terra a água pura,

  Em corrente clara e mansa.

  Por que não te contentas

  Nessa bênção de esperança?


  5 De teu seio brotam fontes,

  Gerando o solo fecundo.

  Por que não vives em paz,

  Nesses encargos do mundo?


  6 Mas não venho criticar

  Os teus impulsos valentes.

  Quero dizer-te que eu tenho

  Trinta crianças doentes.


  7 Não tiveram mães que as amem,

  Mas decerto que adivinhas:

  Quando apareces gritando,

  Choram de susto sozinhas!…


  8 Tempestade, tempestade,

  Atende aos pedidos meus.

  As criancinhas doentes

  São também filhas de Deus.


.Meimei


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir