Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Somente amor — Maria Dolores / Meimei


10


O anjo e a cruz

  1 Quando mãos devotadas e piedosas

  Arrancaram da cruz o Cristo Amado,

  Certo amigo

  A revelar extremo desconforto,

  Exclamou para o lenho áspero, erguido:


  2 — “Antes nunca tivesses existido,

  Cruz infamante, horrível instrumento

  Pouso de criminosos,

  Ódio a ti para sempre, cruz maldita!”


  3 Mas eis que, em tudo, a vida brilha e estua…

  A cruz assinalando a maldição,

  Mostrou sentir a própria humilhação…

  4 Atormentada e triste,

  Relegada, por fim, à sombra merencória

  Acreditou-se a escória

  De tudo quanto existe.

  Destacou-se, porém, generoso emissário,

  Dentre os Espíritos Sublimes,

  Assessores de Cristo no Calvário,

  Que acompanhando a cena,

  Falou à cruz silente e abandonada,

  Carregando de amor a voz serena:


  5 — “Não te sintas ferida ou desprezada,

  Cruz generosa e amiga,

  Por mais que o homem te maldiga,

  Ninguém te arredará do quadro e da memória

  Onde o Cristo estiver nos destaques da História…

  6 É preciso te lembres

  Que Jesus te escolheu, raciocinadamente,

  Para atender a Deus, no sacrifício ingente,

  A que se deu para elevar o mundo…

  O Mestre poderia

  Ter escolhido outro instrumento

  Para fazer-lhe companhia,

  Na amarga agitação que vimos neste dia,

  Talvez algum punhal brazonado

  Alguma lança de aguçado corte,

  Lapidação ou açoite

  Fossem a escolha dele para a morte

  Entretanto, o Senhor

  Para remate da missão de amor,

  Elegeu-te como és,

  Madeira despojada,

  Obscura madeira,

  Para expressar contigo a lição derradeira

  Que nos podia ser doada…

  7 Ele, Jesus, sabia

  Que tiveste um passado de alegria…

  8 Eras árvore linda, em vigor opulento,

  Crescendo para o Sol, às carícias do vento…

  9 Vivias descuidada,

  A cobrir-se de flores e de frutos,

  Que oferecias sem quaisquer tributos

  A quem te procurasse o verde tronco…

  10 Eras o doce lar dos passarinhos,

  Encantava-te a música dos ninhos,

  Mas sob os golpes de machado bronco,

  Tombaste, certo dia…

  11 Ninguém mais te lembrou a bela ramaria,

  Nem mais te recordou o refúgio e a riqueza

  Que trazias nos braços

  Pela bênção de Deus na luz da Natureza…

  12 Logo após abatida,

  Poste feita aos pedaços,

  Maltratada, vendida e revendida…

  13 A Terra não conhece a dor que te consome

  E para quem te veja como estás,

  És madeira sem nome,

  Mas o Mestre da Vida e Príncipe da Paz

  Elegeu-te a presença dolorida

  Para exaltar com ele as lágrimas da vida…

  14 Contigo, o Cristo Amado quer dizer

  Ao sublime futuro por nascer

  Que o Céu não desampara os fracos e os caídos,

  Que a vitória do bem, criando resplendores,

  Nem sempre nascerá dos vencedores

  Mas sempre dos vencidos!…

  15 Por isto, oh! cruz de bênçãos salvadoras,

  Na civilização que se aproxima,

  Brilharás muito acima

  De quaisquer expressões renovadoras.

  16 Terás imitações de prata e ouro

  Por sinal de Jesus, no caminho vindouro,

  Resplenderás, no mundo, em muitas leis,

  Serás consolação dos pobres deserdados,

  Tanto quanto prestígio e poder conjugados,

  Desde a choça da fé ao palácio dos reis!…

  17 Por tudo isso,

  O Céu mandou fazer-te em dois pedaços,

  Um deles vertical

  Apontando no Além a amplidão dos Espaços,

  O outro horizontal em traços certos,

  Simbolizando o amor universal,

  Muito embora, entre os homens esquecido,

  Escorraçado, preso, combatido,

  Mas de braços abertos…

  Cruz amiga de forças benfazejas,

  Deus te guarde e abençoe, bendita sejas!…


  18 Nesse exato momento,

  Desfizeram-se nuvens

  Descerrando a visão do firmamento…

  A Lua apareceu em remoto horizonte,

  Concentrando clarões nos ápices do monte

  Abrilhantando em tudo os detalhes da cruz

  Que não mais resguardava

  Qualquer nota de dor e de agonia…

  Cintilante no alto, o lenho parecia

  O caminho real da Perfeita Alegria

  Para o Reino da Luz.


.Maria Dolores


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir