Bíblia do CaminhoTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Sementeira de luz — Mensagens familiares do Prof. Arthur Joviano (Neio Lúcio) e outros


131


Vinte anos têm sido vinte dias

29|12|1943


1 Meus caros filhos, que Deus os abençoe, conferindo-lhes, como sempre, muita paz de espírito, saúde ao corpo e bom-ânimo para as lutas.

2 Aqui estou para dar-lhes os meus parabéns pelo 27 último. Que Deus abençoe a ambos, concedendo-lhes, junto dos netos, as melhores possibilidades para a realização sublime de luz espiritual.

3 Como veem, vinte anos têm sido vinte dias de felicidade e união.  n É que onde há manifestação do verdadeiro amor aí existe igualmente a vibração da luz eterna. Muito satisfeito, participei de nossas lembranças mais íntimas e espero em Deus continuemos fortalecidos e felizes junto dos netos.

4 Outro motivo também de minha visita da noite é o meu voto sincero de feliz Ano Novo a todos vocês. Rogo ao divino Mestre para que o 1944 lhes seja pródigo de bênçãos.

5 Cada ano de existência na Terra, meus filhos, é gloriosa oportunidade de edificação. Não me excedo nessa adjetivação. O tempo é o tesouro da alma que Deus sempre nos concede a mancheias e a tarefa terrestre é verdadeiramente santificante para os que desejem aprender com o Cristo. E aí os serviços são mais valiosos, porque o material é mais denso, o campo, mais pedregoso, as necessidades, mais imperiosas. 6 Jesus valoriza com razão o trabalho das almas fiéis na superfície terrena, porquanto, a todo instante, a realização cristã no espírito encarnado sofre ameaças de vulto. A dúvida ataca o serviço da crença sincera, o mal procura fazer sombra ao bem, a calúnia persegue a dignidade, o espinho atormenta os pés dos que avançam corajosos, a enfermidade espiona a saúde dos que trabalham, a injustiça recompensa aos maus, a má-fé concede a coroa transitória aos mais ociosos, a perseguição alcança os servidores de boa vontade, a incompreensão atormenta aos que busquem compreender os desígnios do Pai, a fim de pô-los em prática. 7 Todos esses fenômenos são bem daí da Esfera carnal. E, por isto, deixou-nos Jesus aquele ensinamento sobre “os que perseveram até o fim”. Contemos com a luta e aproveitemos o tempo, agindo com o Senhor. Somente assim é possível angariar novas aquisições para a vida eterna. Que vocês todos sejam muito felizes, são os meus votos!

8 Para a saúde do Roberto, o receitista lembrou um preparado interessante para o organismo dele. Chama-se Arseno Fenatose. Ser-lhe-ia muito útil, entretanto, em se tratando de medicamento alemão, é possível encontrarem dificuldade para a compra. Desse modo, caso se positive o obstáculo, Roberto poderá usar o Fixocálcio até que possamos encontrar o preparado referido, considerando que se a busca não será muito fácil não é impossível a obtenção. Dentro de minhas possibilidades, cooperarei no assunto. Vocês comecem a procurar, que eu ajudarei.

9 Quanto a você, meu caro Rômulo, será útil prosseguir nos medicamentos habituais. Creia, meu filho, que estou sempre aconselhando a você, de modo indireto, quando se trate da necessidade de permuta entre um ou outro. Felizmente, porém, você vai bem mais forte.

10 Agora, meus filhos, reafirmo-lhes a minhas “Boas Festas”! Que Jesus lhes dê tudo aquilo que eu, com todo afeto de pai, não tenho nas mãos para lhes dar. Peço isto ao Mestre divino com todo o coração e sei que ele nos ajudará.

11 Aqui estão amigos nossos que os saúdam e lhes desejam muitas felicidades para 1944. A nossa irmã Engracinha agradece à Maria, comovidamente, pelo trabalho eficiente que vem fazendo, a benefício dos cegos, e lhes deixa votos de muita saúde e venturas para o Ano Novo.  n

12 Espero que vocês, nas reuniões de terças-feiras, enviem um pensamento fraterno de auxílio ao Gibraltar.  n Que Jesus lhes conceda tudo o que existe de bom e, com um abraço, cheio de alegria e confiança, sou o papai e vovô muito amigo,


A. Joviano



[1] Nota da organizadora: Diz respeito ao casamento de Rômulo e Maria, ocorrido em 27 de dezembro de 1923.

[2] Notas da organizadora: Refere-se aos trabalhos de transcrição para o sistema Braille, destinado à leitura pelos cegos, levado a efeito pela Sociedade Pró-Livro Espírita em Braille, fundada pelo Gen. Mário Travassos, pela vovó Júlia Pêgo de Amorim, Luiz Antônio Mildeco Filho — cego de nascença — e pelo oficial da Marinha, Marcus Vinícius Telles — cego em decorrência da explosão de uma caldeira. Dentre esses trabalhos, destaca-se o da transcrição do Pequeno Dicionário da Língua Portuguesa, de autoria de Hildebrando Lima e Gustavo Barroso, que levou quatro anos de trabalho, dando, ao todo, 64 volumes, que se encontram na Biblioteca Benjamin Constant, no Rio de Janeiro. Júlia dividiu a tarefa em partes, que entregou à Maria, em Pedro Leopoldo, e a várias senhoras, no Rio de Janeiro. Esse trabalho foi organizado e coordenado por vovó Júlia, a pedido de sua tia Engracinha, já no Plano espiritual, e que se reconhecia devedora dos cegos, porque, mulher poderosa em vida anterior, decretara essa pena para o chefe de insurreição surgida em seus domínios e, em o fazendo, teve como vítima o próprio filho.

[3] Gibraltar foi um grande amigo da família Joviano em Belo Horizonte.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir