Testamento Xavieriano - Sementeira de luz - Capítulo 138

Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Sementeira de luz — Mensagens familiares do Prof. Arthur Joviano (Neio Lúcio) e outros


138


O imenso benefício da fé sincera

16|03|1944


1 Meus caros filhos, que Deus abençoe a vocês todos, concedendo-lhes muita saúde e paz na luta diária.

2 Venho ao nosso jardim de intercâmbio espiritual, mais direto, a fim de colher as flores sempre novas da afeição de vocês e trazer-lhes os meus agradecimentos do coração. É uma felicidade muito grande a nossa, recompor os elos da vida, que para tanta gente continua como laços desfeitos da morte. Vocês não podem calcular ainda o imenso benefício da fé sincera, pura, ardente, fé que modifica sem cessar o coração, sem que nós mesmos percebamos, que nos transporta a mais altas regiões do conhecimento, sem que assinalemos as dificuldades do caminho.

3 Ah, meus filhos, quando observamos tanta orfandade espiritual no mundo, quando sentimos a amplitude das negações humanas nesse setor evolutivo, então compreendemos o tesouro do “fio invisível” que nos liga coração e consciência às zonas superiores, de onde procede a inspiração mais pura da vida! Nossa paz, portanto, é muito diferente da tranquilidade comum, nossa esperança é diversa da ambição vulgar. Desejamos a luz inapagável, a fortuna real, a realização eterna. Semelhante condição eleva nossa vida em qualquer plano da natureza visível e invisível aos olhos mortais. Quem medita na extensão dos necessitados “daqui” chega a conclusões de valor inapreciável para os encarnados.

4 Ultimamente, sinto mais de perto a luta travada no ambiente espiritual à esfera propriamente humana. Desde muito, mantemos pequeno serviço educativo em local não muito diferente daquele posto de socorro de que vocês tiveram informação por André Luiz.  n

5 Semelhante oportunidade me confere mais ocasiões de estarmos juntos e de seguir, passo a passo, as tarefas em família. Mas nos tempos de calamidades coletivas, como nas epidemias, os centros de educação convertem-se em núcleos de assistência, pavilhões escolares transformam-se em enfermarias e sinto que, em semelhantes ocorrências, precisamos também transformar o coração, dilatando-o ao universalismo. Vocês me compreendem e isso me satisfaz. Quero apenas fazer-lhes sentir a enormidade de nossos serviços e a felicidade verdadeira de nossa paz e de nossa união espirituais.

6 Graças a Deus, meu caro Rômulo, tenho sentido de perto o auxílio de nossos benfeitores para a Marcelina. Bem o merece a nossa velha amiga! De qualquer modo, porém, ainda que a saúde física não se encontre perfeitamente consolidada, muito grande é a felicidade dela no dever bem cumprido e para a obrigação bem atendida haverá sempre triunfo real.

7 Tenho procurado auxiliar a vocês todos com os passes de restauração geral e não me esqueci de acompanhar o Roberto na viagem “tão alta”! Que Jesus nos dê a todos a divina oportunidade de compreender-lhe a divina bênção.

8 Wanda terá igualmente nossa “assistência especializada”, nestes dias em que o resfriado tenta voltar. Creio que a minha neta deva usar recalcificantes sólidos para consolidar as reservas orgânicas.

9 No Rio, temos procurado atender ao Clóvis com a Aurélia, no que diz respeito às lutas que ambos experimentam, e chegaria mesmo a sentir a dificuldade em definir qual dos dois sofre mais! A tempestade colheu-os de modo muito imprevisto para ambos, entretanto, espero em Jesus que o “barco de união sagrada”, em que testemunharam, tantas vezes, a fé e o amor a Deus, atingirá um porto calmo e seguro. Enviemos a eles os nossos pensamentos de fraternal auxílio.

10 Agora é a volta do Caio ao lar paterno. Que o Senhor da vida o favoreça, despertando-lhe as energias profundas na aquisição dos valores novos. A vida humana, Caio, não é uma aventura. É um aprendizado divino para o coração de boa vontade. Nele não basta ser fiel aos princípios terrestres mais respeitáveis. É necessário, igualmente, ser fiel a Deus no íntimo santuário da consciência. Todo dia é ocasião de aprender o bem e de praticá-lo, honrar a Deus e servi-lo. Se guardar semelhante convicção na alma bem formada, mais fácil será para você a lição, mais limpos os caminhos. Não se perca, pois, em muitas interrogações interiores, sem sentido justo. Consolide o seu ideal de homem de bem e caminhe. Estas são as palavras que tenho endereçado ao Roberto e à Wanda, por mais de uma vez, compreendendo mesmo o incalculável das tentações que assediam a juventude.

11 Quanto a você, Roberto, o vovô estará ao seu lado nas lutas novas. Prossigamos com firmeza. Sejam os nossos dias de trabalho construtivo e de esperanças edificantes.

12 Por hoje, filhos, é só. E creio até que a carta foi muito longa. O coração, porém, não vê as linhas do papel e sim o infinito do amor e da dedicação.

Boa noite para vocês.

Com um grande e afetuoso abraço, sou o papai e vovô muito amigo de sempre,


A. Joviano



[1] Nota da organizadora: Refere-se ao posto de socorro mencionado no Capítulo 16 do livro Os Mensageiros.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir